orixa Oxossi

Oxossi

A kere tọgbonşinon

Ele não é vigoroso, mas é inteligente

Il n´est pas fort, mais il est intelligent

n˚6 p 219 - Notas sobre o culto aos Orixás e voduns

Ô Saint Jorge,

Ô Saint Jorge, tu m’as tellement déçu
Tu n’as jamais su te montrer à la hauteur dans ta mission de père,
C’est pourquoi, aujourd’hui, je déambule dans l’obscurité de la nuit
Avec ton image pesante sur mes épaules et mon dos,
J’aurais pourtant tant voulu chevaucher
Ce dragon que tu combats,
Comme le combat injuste d’avoir été élevé sans père.
Et je crie si fort à qui veut l’entendre
Cette injustice qui m’est tant difficile de dépasser.
J’ai beau vêtir cette armure impénétrable du temps
Il n’en est rien,
Je suis né pour me battre seul et sans ton aide et ton appui.
Tu n’as jamais su t’imposer à moi comme père,
Tu as toujours fui tes obligations,
C’est inscrit dans notre destin.
Il ne t’aurait pas fallu grand-chose pourtant pour abattre les cloisons
Qui nous séparent,
Juste savoir ravaler ton orgueil et ta fierté,
Savoir te pardonner toi-même de l’ambition que tu as eue
Et qui t’a mené à délaisser ta propre famille.
J’aimerais savoir aujourd’hui, qui de ta famille, chair de ta chair,
Reste véritablement présent à tes côtés.
Je veux dire de cette famille présente dans ton cœur amer
Et non celle que tu cultives sur le papier jauni de tes souvenirs étiolés
Pour te laver de tes scrupules.
Mon combat c’est de pouvoir
Accepter de te pardonner de n’avoir jamais su démontrer
Aucun amour ou attachement à mon égard.
Pourquoi chaque mouvement de toi qui tend dans ma direction,
Est toujours pour me faire disparaître davantage et encore plus loin,
Dans un recoin minuscule de ton existence ?

Ô São Jorge,

Ô São Jorge, você me decepcionou tanto
Não soube se mostrar na altura da sua missão de pai,
Portanto, hoje, vago na escuridão da noite
Com a sua imagem pesada nos meus ombros e nas minhas costas,
Gostaria tanto ter conseguido cavalgar
Com esse dragão que você combate,
Como o combate injusto de ter sido criado sem pai.
E grito tão alto para quem quer escutar
Essa injustiça tão difícil de superar.
Mesmo vestindo a armadura impenetrável do tempo,
Não há nada,
Nasci para lutar sozinho sem a sua ajuda e sem o seu apoio.
Você não conseguiu se impor a mim como pai,
Você fugiu das suas obrigações,
Está inserido em nosso destino.
Você não precisava de muito para destruir os muros
Que nos separam : Apenas baixar o seu orgulho,
Saber perdoar a você mesmo... a ambição que teve
Que o levou a abandonar a sua própria família
Gostaria de saber quem, da tua família, sangue do teu sangue,
Está verdadeiramente ao seu lado hoje,
Quero dizer que essa família presente em seu coração amargurado
E não aquela que você cultiva no papel amarelado das suas lembranças desvanecidas
Para lavar os seus escrúpulos.
Meu combate é de poder
Aceitar e perdoá-lo por nunca ter conseguido demostrar
Algum sentimento de amor a meu respeito.
Por que cada movimento seu que o leva em minha direção,
Sempre me faz desaparecer um pouco mais e me leva ainda mais longe,
Num recanto minúsculo da sua existência ?

oxossi-4
oxossi-3
oxossi-2
oxossi-1

Rio Vermelho CP 2102 41950-970 Salvador – Bahia – Brasil +55 (71) 3261 3400 +55 (71) 9993 42484 horta.fatumbi.fabi@gmail.com

Este site usa cookies para sua operação e medição de audiência.