Um Deus, um Homem / um Homem, um Deus

"La Légende de l'homme aux souliers d'argent"( A resiliência de um viajante aos sapatos prateados) Edi. EDILIVRE sera presente entre o 20 e o 23 de Março no Salão do livro de Paris. Portas de Versailles .

Meu bisavô se chamava Lizier Anouilh e ele era de família “Ariègeoise”(região da França nos Pyréneus). Por quatro gerações, minha família nasceu na Argélia. Antes de ser brasileiro, desci de “pied-noir” (os Francês que nasceram na Africa do Norte) e cresci na França. Devo minha determinação de querer viver na Bahia, tendo sido criado em uma cultura do exílio, tendo sido arrancado de minha terra natal e ao mesmo tempo acolhido pela família de minha mãe no mito de uma comunidade sem-retorno.

frances43
frances41
frances39
frances40
frances38
frances36
frances35
frances34
frances33
frances32

Às seis anos, não tenho dúvida agora, seria impossível manter o português como segunda língua na França. Por outro lado, em 2019, com o desempenho da tecnologia de telecomunicações, o fato de ter que gerenciar uma situação administrativa do francês do exterior cria uma dinâmica favorável ao uso continu do francês como idioma de expressão, e eu diria isso pelo contrário... Eu até acho que progredi ao escrevê-lo!

A onda migratória que afetou a Europa nos últimos anos está mudando profundamente os comportamentos sociais no processo imaginário do migrante.

É óbvio e está indo na direção certa: a imagem dos subúrbios está mudando! Quando ele não for mais representante dos grupos de rap, de uma cultura marginal e não convencional, transmitida pela mídia, mas de uma classe trabalhadora e imaginativa que extrai seu sucesso e seu destino do próprio motor de sua migração, então conheceremos pessoas real e não um grupo estigmatizado.

Aplicada aos campos da cultura Afro-Brasileira nas grandes cidades do Brasil, minha retórica não se aplica porque em um estado de anarquia em que os vetores de assimilação socioeconômica não são absorvidos por medidas de justiça social, portanto as formas de expressão cultural de as minorias são os únicos atos possíveis de resistência contra a cultura opressiva e dominante. Esse estado de anarquia é o resultado de grande desigualdade social entre todos os atores que o compõem.

 O mundo bateu à porta desta "sociedade social", por isso nos deslumbrou, pessoas do sul, em busca de uma forma de equidade, mas correndo o risco de desequilibrar suas próprias relações comerciais internacionais entre os grupos de dominação.Na Europa, não há família unida, é uma sociedade secular, isto é, sem religião. Ao ingressar na faculdade, você tem idade suficiente para encontrar seu canto e sair de casa para viver sua vida. Uma sociedade que exige viver sua fé de maneira oculta em nome da República leva os padres à pedofilia, os pastores tendem ao puritanismo, levam os muçulmanos ao extremismo e o sionismo se torna uma forma de racismo!

O secularismo é um perigo para a sociedade pós-moderna, porque nega identidades individuais para envolver indivíduos em uma relação de poder dominada pelo capitalismo.Pelo contrário, em uma sociedade comunitária, a religião é um vetor de laços sociais entre indivíduos para criar uma sociedade desigual, porque os critérios de distinção social são raciais e não de classe, mais justos e socialmente menos aceitáveis.Uma sociedade secular distribui poder de forma mais equitativa entre os indivíduos através da democracia.

 A democracia não existe na sociedade pós-moderna porque está presa no domínio do poder entre as elites.A República não existe, é o último estágio de uma sociedade moribunda: vivemos nosso estado de direito em uma anarquia!A fundação da Sociedade começa com o respeito pelos idosos, a tolerância com aqueles que não pertencem à sua família e os ajuda a criar seus próprios filhos.

Enquanto escrevia um livro, tudo o que escrevi não está mais em minha mente porque mostrei tudo grotesco sobre essa sociedade Brasileira ... E se minha família biológica Brasileira não fosse racista, ela poderia ter me recuperado com o tempo, a tolerância e a paciência ...A certa altura, eu teria me encontrado na difícil escolha de escolher entre ela e a Bahia, mas agora ela se posiciono de maneira tão intolerante que eu tive que escolher entre minhas convicções e crenças o ela!Eu escolhi o lado da justiça, lei, tolerância e paz social para um mundo mais justo.Aceite um mundo "Negro",

Aceite os valores republicanos e seja a favor da democracia, os valores que eles me ensinaram durante minha educação, a educação no mundo do trabalho e o trabalhador que está longe do mundo elitista, com base nos privilégios da minha família biológica Brasileira. , que é favoravelmente associado a uma sociedade corrupta.Se as instituições e o poder são brancos no Brasil, a república e a democracia pertencem ao mundo dos trabalhadores.

 A República de Macron e outros políticos corruptos usam Charlie Hebdo para infundir o profundo desgosto que o "François" sente pelos muçulmanos e por todas as religiões porque eles não conseguem distinguir entre um ato de fé e barbárie. O problema com os franceses é que eles também tendem a fazer do secularismo sua própria religião.

Alguém poderia me dizer exatamente que quer dizer "eu sou Charlie" realmente significa?

Outro tipo de bolsa que significa tudo e qualquer coisa.

Mas por que, então, é essa imagem que você me dá de você, França? 

 

Rio Vermelho CP 2102 41950-970 Salvador – Bahia – Brasil +55 (71) 3261 3400 +55 (71) 9993 42484 horta.fatumbi.fabi@gmail.com

Este site usa cookies para sua operação e medição de audiência.